A CARREGAR

Type to search

O Maravilhoso Mundo das Mentas

As mentas ou hortelãs são das plantas condimentares e medicinais mais utilizadas pelo mundo fora. É uma planta que se hibrída fácilmente, daí existir alguma confusão em relação à nomenclatura de algumas variedades. É uma planta vivaz, herbácea e rústica, da família das lamiáceas (labiadas) cresce em lugares sombrios, em terrenos húmidos e frescos, na beira dos rios e em hortas e pomares.

 Podemos dívidi-las essencialmente em dois grandes grupos: a hortelã-verde, hortelã cumum ou mentha spicata, (spearmint em inglês) onde se inclui a nossa hortelã da canja também conhecida por hortelã-das-cozinhas, hortelã- das- hortas ou hortelã-dos-temperos, este grupo inclui as espécies mais utilizadas na culinária, tem sabor refrescante, algo doce, agradavelmente pungente, fazendo algumas vezes lembrar o sabor do limão ou da maçã.

 O outro grupo é o da hortelã-pimenta, de sabor muito mais mentolado, mas também doce, forte e picante, deixando a boca um pouco dormente e com hálito agradável e fresco, esta é a mais utilizada para fins medicinais e também no fabrico de pastilhas elásticas, pastas de dentes e cosmética. É dela que se faz a extração do óleo essencial.

Alguns exemplares deste grupo são a hortelã pimenta preta mentha x piperita piperita, hortelã da montanha (pycnanthenum pilosa), o poejo (mentha pulegium) de sabor muito forte e que deve ser usado com alguma cautela do que os Alentejanos concerteza discordarão, a hortelã brava (mentha arvensis), muito utilizada na cozinha Asiática. A mentha x piperita é um híbrido da hortelã verde e da hortelã d´água.  

Temos ainda a hortelã pimenta chocolate (menthax piperita citrata chocolate) também conhecida por bergamota e muito utilizda na perfumaria e ainda na confeção de sobremesas, hortelã maçã (mentha suaveolens), hortelã da ribeira (mentha cervina) ou erva peixeira muito utilizada na culinária do Alentejo e que tem um aroma semelhante ao poejo, mas folhas muito diferentes. A mentha aquática L.ou hortelã da água,  muito cumum no centro e sul do nosso país é também conhecida por hortelã mourisca pois juga-se ter sido introduzida pelos Mouros. 

História

A hortelã é oriunda da região mediterrânica onde cresce espontâneamente e é também plantada, não só nessa região mas um pouco por todo o mundo. Muito utilizada em Marrocos, Turquia e Tunísia mas também no Irão, na Índia etc. A hortelã era muito utilizada pelos Romanos em banhos e perfumes, provávelmente seria a mentha spicata, acredita-se que foram eles quem introduziu a hortelã na Europa. A variedade hortelã pimenta só em 1721 foi introduzida na farmacopeia inglesa (London Pharmacopeia) onde era recomendada no tratamento de problemas digestivos como flatulência, cólica e dores de cabeça de origem nervosa, mas já em 1696 constava nalguns textos. O nome menta vem da mitologia grega: a ninfa Menta surpreendeu Perséfone com Plutão por quem estava apaixonada e foi transformada na planta que tem o seu nome. 

Composição

É rara a menta que possua menos de 50% de mentol chegando mesmo algumas variedades a atingir os 90% que são exclusivamente utilizdas para extração do óleo essencial, têm ainda flavonóides, carvona, aneol, pulegona, resinas, ácidos fenólicos e constituintes amargos. 

Utilidades

A hortelã é um analgésico, anti-séptico e tranquilizante sobretudo a nível local e das mucosas do aparelho digestivo, inibe espasmos gastrointestinais e estimula a produção da bílis, relaxa os músculos do estômago facilitando a digestão, relaxa os músculos do esfíncter do esófago, ajudando a libertar refluxos digestivos o que pode também causar sensação de azia.Existem estudos que comprovam que as cápsulas de óleo de hortelã aliviam problemas de cólon irritável. A hortelã é um conhecido vermífugo que se pode utilizar para desparasitar tanto pessoas como animais sobretudo se lhe juntarmos artemísia. É útil no combate a vários tipos de vírus e bactérias incluindo herpes, meia gota do óleo essencial aplicado sobre as temporas alivía dores de cabeçsa, é ainda muito eficaz como descongestionante nasal e expectorante, em compressas ou quando fricionado alivía dores musculares e reumáticas.Combate ainda bronquite, náuseas, cólicas, diarreia e aftas. É também diurética, estimula a sudação sendo útil para fazer baixar a febre, alivía picadas de insectos. É um excelente repelente de formigas aplicando um ramo ou umas gotas do óleo essencial nos locais por onde elas andam.

Umas gotas de óleo essencial esfregado na coleira dos cães e gatos mantém afastadas as pulgas, também funciona com poejos esfregados directamente nas coleiras, no pêlo do animal ou na água do banho.É ainda um bom repelente de traças, as folhas colocadas em camadas debaixo das coelheiras afastam não só as moscas mas também os ratos e ratazanas. 

Culinária

A hortelã é uma planta muito refrescante, ideal para tomar no Verão em refrescos ou chá frio ou morno, muito utilizada na confeção de um sem-número de pratos desde molhos vários para acompanhar carne, peixe ou guisados de legumes, molho de ananás com hortelã é uma excelente combinação, sobremesas, sopas, geleias etc. Estou segura que se poderia escrever um grande livro só de receitas de hortelã, é possível até que já exista. 

Cosmética

Muito utilizada no fabrico de cremes para a pele, dentífricos, perfumes, sabonetes e sais de banho. 

Jardim

Como as hortelãs são extremamente invasoras pode optar por plantá-las em vasos e logo enterrar- los, sendo esta uma forma de as controlar.  A hortelã repele a borboleta branca da couve, a hortelã pimenta afasta os afídeos das plantas pois é um repelente de formigas que são as responsáveis pelo transporte dos mesmos. Melhora o sabor das couves e do tomate. A hortelã desenvolve-se bem debaixo das nogueiras. Tanto a hortelã como o tomateiro desenvolvem-se bem perto das urtigas.

Repelente natural: ferva 3 canecas de água e uma de hortelã (mentha spicata) durante 2 minutos, deixe arrefecer e pulverize depois as suas plantas como preventivo contra as várias pestes, se o fazer uma vez por semana terá óptimos resultados.

FERNANDA BOTELHO nasceu em Tojeira/Sintra em agosto de 1959.
Aos 18 anos viaja para Londres onde estuda antroposofia e plantas medicinais e pedagogia Montessori.
Fez o curso de guia de jardim botânico com a Alexandra Escudeiros e gostou tanto que repetiu no ano seguinte.
Apaixonada por jardins botânicos, é frequentadora assídua de Kew gardens. Absorve o que vê, fotografando e escrevendo.
Publica anualmente desde 2010 agendas de plantas medicinais, três livros infantis “Salada de flores” “Sementes à solta” e “Hortas aromáticas”. “As plantas e a saúde, guia de remédios caseiros”. É colaboradora do programa Eco-escolas desenvolvendo projetos de plantas medicinais e hortas sustentáveis nos espaços escolares com professores e alunos.
É convidada regular da RTP 1, organiza passeios botânicos e dá workshops sobre plantas medicinais.
Blogue Malva Silvestre.

Tags:

7 Comments

  1. lilas 18 de Maio de 2009

    Muito interessante.
    Obrigada

    Responder
  2. maria fernanda 28 de Maio de 2009

    Muito ilucidativo!!1Gostaria de ter receitas com hortelã .

    Responder
  3. hiroyoshi IDA 9 de Fevereiro de 2012

    Como posso adquirir a capsula de oleo essencial de hortelã 0,2

    Responder
  4. Raquel 8 de Março de 2012

    Bom dia,
    Entrei em contato com várias farmácias no Rj e não encontrei essas capsulas de oleo essencial de hortela 0,2 ml de mentol.Onde posso adquirir aqui no RJ???

    Muito Obrigada.

    Responder
  5. Maria Gonçalves 4 de Maio de 2012

    Quero fazer bolos de chocolate com sabor a hortelã pimenta, existe chocolate com estes condimentos e onde posso comprar?

    Responder
  6. ESMERALDA MARINHO 15 de Dezembro de 2012

    NA MINHA TERRINHA EXISTE TRÊS TIPOS DE HORTELÃ;HORTELÃ DA FOLHA MIUDA,DA FOLHA GROSSA E HORTELÃ PIMENTA. ALGUÉM PODE EXPLICAR A DIFERENÇA ENTRE ELAS?

    Responder
  7. Vítor Margarido 11 de Julho de 2016

    Tenho uma horta familiar com vários géneros de plantas medicinais e árvores. Quando vou fazer uma infusão deparo-me com estas dúvidas:
    – Para além de ter o cuidado de não misturar plantas com propriedades antagónicas, devo obedecer a um número máximo de espécies misturadas na mesma infusão?
    – Folhas de árvores coma a videira, o marmeleiro, a pitangueira, a pereira abacate, a oliveira, são apropriadas para fazer infusões?
    Um muito obrigado antecipado à Srª. Professora.

    Responder

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ir para o topo