A CARREGAR

Type to search

Jardins Estoril Sol e Parque de Palmela, dois espaços que se complementam

Texto: Catarina Gonçalves Fotografia: Vasco de Melo Gonçalves

O projeto do Estoril Sol Residence tem sido alvo de algumas polémicas, o impacto na paisagem é incontornável, uns gostam outros não.  Mas a zona de jardins é inegavelmente uma lufada de ar fresco,  um espaço não muito grande que consegue ser harmonioso e relaxante.  O constante som da água que percorre o jardim convida os seus visitantes a sentarem-se e tirarem partido da vista. A autoria deste projeto é da GAP,  atelier de arquitetura paisagista de Francisco Caldeira Cabral e Elsa Matos Severino.

DSC_0185

Em termos de manutenção apesar dos jardins estarem bem cuidados tivemos pena que alguns dos seus visitantes pensem que os elementos de água são caixotes do lixo e estes não estarem a ser limpos,  mas o jardim no seu conjunto  é um espaço agradável para parar e aproveitar o sol antes de ir para as zonas mais sombrias do Parque de Palmela.

DSC_0182 DSC_0207

É a passagem entre estas duas zonas, que são tão contrastantes, que as tornam ainda mais interessantes, entre o jardim contemporâneo e o parque tradicional. Os dois espaços são de visita obrigatória.

 DSC_0205

Impressão do arquiteto Gonçalo Byrne

“O projeto surgiu-me, desde logo, como muito complexo. Inserido na boca do Vale da Ribeira da Castelhana, que é um local muito curioso, porque gera um microclima. A relação do mar com o vale era o grande desafio, mesmo numa perspetiva histórica. Na segunda metade do século XIX, a Casa de Palmela comprou aqueles terrenos, com cerca de um quilómetro de profundidade. Aí se mandou construir uma casa, um palácio muito interessante sob o ponto de vista arquitetónico, desenhado por um arquiteto inglês da escola de William Morris. A partir daquela casa, pegam no terreno por ali acima e dão origem ao Parque Palmela, uma unidade de grande riqueza natural, perpendicular à costa, que subsiste até à chegada do caminho-de-ferro. É este que vem cortar a relação entre o palácio e o Vale. Esta rutura é reforçada mais tarde com a avenida Marginal, já no tempo do Estado Novo. A relação entre o mar e a Falésia foi progressivamente cortada, a clivagem aumentada.

DSC_0187

Devido ao processo galopante de urbanização, o Parque vai ficando confinado ao vale. É neste contexto que surge o Hotel Estoril-Sol, um edifício historicamente com algum interesse, mas com grandes problemas de implantação, por causa da sua relação com a Falésia. No fundo, acabou por criar uma espécie de tampão compacto visual. A minha questão era como gerir aquela área sem criar um tampão. Perguntei-me: o que acontece quando eu tirar o Hotel? A comparação é semelhante à extração de um dente. O cenário é atemorizador. Fica a Falésia em desequilíbrio, completamente betonada. O nosso projeto passou por duas condições fundamentais. A primeira pode descrever-se deste modo: tratar a cicatriz, dar uma inclinação mais suave à Falésia, girando-a para o Vale. Ao mesmo tempo replantar toda esta frente de verde, duplicando a frente de coberto vegetal para o mar.

DSC_0151 DSC_0142

A segunda questão: trabalhar o conjunto do Estoril-Sol Residence como uma espécie de grande escultura urbana à escala da topografia do vale. É um todo edificado que assume claramente a diferença entre a cota do mar e a cota alta do Vale, e que é modelado com movimento e aberturas suficientemente grandes para se interpenetrarem com aquela superfície verde do Parque, que se pode ver desde Cascais, desde o mar, como aumenta. Procurei terminar com a ideia de tampão, de torre. Regenerando o tecido da Falésia, o projeto tem quase mais uma dimensão paisagística, geográfica, que arquitetural. Dialogar com esta grande unidade entre a Falésia, o Vale e a Natureza, articulando-a como uma Escultura frente ao mar foi o desafio que encarei. No contexto da minha obra trata-se de um projeto apaixonante, com o fator aliciante de se inserir no contexto urbano de Cascais, com toda a sua riqueza histórica e patrimonial, no âmbito de uma linha costeira de grande projeção internacional. Um desafio ao qual não resisti.“
O autor do projeto arquitetónico de Estoril-Sol Residence.

O Parque de Palmela está localizado na ‘fronteira’ entre Cascais e o Estoril, foi mandado construir pelos Duques de Palmela, por volta de 1870. A própria Duquesa, mulher com grande interesse nas artes plásticas, fez questão de acompanhar de perto a construção do jardim, para que o espaço refletisse o seu gosto.

DSC_0196 DSC_0195

Recentemente o espaço foi enriquecido com mais uma oferta de lazer: um circuito de arborismo, cujo objetivo passa por promover a prática de desportos ao ar livre e a sensibilização ambiental. A criação desta nova valência (mais informação em www.pedacosdeaventura.com) é uma oportunidade para os visitantes terem contacto direto com a natureza do Parque Palmela, através de diversas atividades. Neste espaço pode encontrar um exemplar do Pinheiro das Canárias, classificado como “árvore isolada de interesse público”, devido à sua raridade e porte.

 DSC_0192

Ficha Técnica Estoril-Sol

Dono de Obra
Estoril-Sol, Investimentos Hoteleiros, S.A.

Início e Conclusão da Empreitada:

Março 2007 a Agosto 2010

Área de Construção:

28.800m2 acima do solo
26.000 m2 abaixo do solo

Projeto de Arquitetura:

Gonçalo Byrne Arquitetos, Lda. – Arqt.º Gonçalo Byrne

Coordenação Do Projeto:

Rolf Heinemann

Projeto de Arquitetura Paisagística:
GAP – Gabinete de Arquitetura Paisagista
Francisco Caldeira Cabral
Elsa Matos Severino

Projeto Luminotécnico:
Afaconsult
Eng. Raul Serafim

Empreiteiro:
SOMAGUE – Engenharia
EDIFER – Construções

Saiba mais em www.cm-cascais.pt e www.estorilsolresidence.com.

Mais imagens e filme  na edição 23 da revista digital Tudo Sobre Jardins.

 

A REVISTA TUDO SOBRE JARDINS está na banca desde Agosto de 2007 e traz, trimestralmente, informação de qualidade com um foco especial no paisagismo e design. A parceria com o Portal do Jardim.com permite agora que os leitores deste portal tenham acesso a conteúdos produzidos por esta excelente publicação.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ir para o topo