A CARREGAR

Type to search

No âmbito do programa Dias da Transição, o Teatro Maria Matos, organizou, sábado, 20 de julho, um programa onde toda a família pode desfrutar de um passeio de bicicleta pela cidade de Lisboa.

Dos dois percursos propostos, escolhemos o das Hortas Urbanas por ser aquele que mais se enquadrava com o nosso Portal.
O percurso Hortas Urbanas tinha, como principal motivação, conhecer e valorizar as iniciativas dos vizinhos do Teatro Maria Matos, através da visita à horta biológica que os alunos, pais e professores da EB1 do Bairro de S. Miguel criaram no pátio da escola. Foi muito interessante ver o entusiasmo dos dois alunos presentes que, mal lá chegaram foram ver o estado da horta e recolher morangos para oferecer ao grupo de cicloturistas.
Seguindo a ciclovia do Campo Grande fomos conhecer a Associação de Residentes de Telheiras (ART) que desde a sua fundação lutou pela criação de uma horta no bairro, encomendando até um projeto ao arquiteto Gonçalo Ribeiro Telles.
O projeto ficou no papel (vimos os desenhos), mas o bairro não desistiu e em 2010 lançou as sementes de uma horta comunitária através da ocupação de um espaço. Dois anos depois, a Câmara Municipal de Lisboa inaugurou o Parque Hortícola alguns quarteirões ao lado. Os dois espaços têm características diferentes, o Parque Hortícola vem recuperar a tradição das pequenas hortas de Lisboa, tendo sido dada a possibilidade, aos residentes da localidade, de arrendarem, a preço simbólico, um dos talhões disponibilizados pela Câmara, cultivando os seus próprios alimentos e seguindo os ritmos da natureza. O Parque Hortícola de Telheiras dispõe de 20 talhões, com áreas entre os 80m² e os 120m².

A REDACÇÃO do Portal do Jardim.com, conjuntamente com todos os seus contribuidores, prepara artigos e notícias do seu interesse, mantendo-o ao corrente do que se passa sobre o Jardim, em Portugal e no Mundo.

Tags:

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ir para o topo