A CARREGAR

Type to search

Tags:

Novos Tractores T5 e T6 da Viking: Conforto e Força em Grandes Superfícies de Relva

[img]https://www.portaldojardim.com/artigos/equipamento/viking230108/abertura.jpg[/img]

[i]Foto e Videos: Viking.[/i]

Os tractores corta-relva Premium foram construídos para proporcionarem rendimento e prazer de condução em grande superfícies. Cem por cento construção da VIKING numa tentativa de satisfazer os jardineiros mais exigentes. «Para o desenvolvimento singular os engenheiros da VIKING contribuíram com todo o seu conhecimento técnico. Resultado: uma prestação de corte limpo, materiais robustos, prazer na condução e extras que vêm de série».

Na óptica da Viking, «Para os proprietários de grandes quintas, ter um tractor corta-relva é como ter o cavalo premiado na cavalariça.» Assim, esta série de tractores corta-relva permitem que o utilizador esteja confortavelmente sentado, usufruindo do ambiente, podendo activar o [i]cruise control[/i] (disponível na série T6) para uma condução ainda mais despreocupada. Este projecto foi desde o esboço da ideia ao controlo de qualidade um projecto da Viking, criando assim um modelo, o T5, com uma largura de corte de 95cm e o T6 concebido para ser utilizado em grandes surperfícies de relva, com uma largura de corte de 110 ou 125cm.

[b]Concepção Integral[/b]
O facto da concepção e construção destes modelos ser integralmente da Viking, permitiu total liberdade aos engenheiros para idealizar extras que vêm de série. Para o seu desenvolvimento, tomaram em conta a opinião e comentários de muitos utilizadores, para que o resultado se adaptasse melhor às necessidades dos utilizadores. E conseguiram-no. Os modelos T5 e T6 são de extrema simplicidade no manuseamento e utilização, não deixando de oferecer bastantes variantes, dando origem a uma experiência agradável e entusiasmante.

O acesso baixo e um espaço para as pernas poupa em ergonomia e torna-o confortável. O encher do depósito faz-se sem ter de abrir o capot, o acento almofadado é regulável sem precisar de ferramentas, e o volante desportivo, são vantagens a favor da ergonomia. Todos os elementos de manejo estão visíveis e ao alcance, para que o condutor nos vários modos de utilização possa ficar sentado confortavelmente e ter uma visão geral de tudo. As marchas atrás e à frente mudam-se de forma simples, bastando mudar a alavanca do volante e o tractor anda para a frente ou para trás, o manejo também é fácil, com o mesmo pedal.

Todos os modelos ligam de forma eléctrica: dá-se à chave e o motor começa a trabalhar. Os pedais funcionam com transmissão hidrostática, com os quais todos os modelos vêm equipados, a única excepção é apenas em versão do modelo T5 que equipa com transmissão mecânica. Quando se carrega no pedal, o tractor corta-relva arranca de imediato, a aceleração é suave, permitindo um controlo da velocidade, sem recorrer a mudar de mudança.
Debaixo do capô encontram-se os robustos motores Briggs&Stratton e os motores Kawasaki com as potências de 13,5 HP até 23 HP, respectivamente, encarregam-se da força e resistência no terreno. Alguns modelos vêm equipados com dois cilindros. Deste modo, em terrenos mais exigentes, os motores mobilizam reservas de força num andamento lento constante.

[b]Funcionalidade no corte[/b]
A altura de corte é regulada em todos os tractores corta-relva da série T5 e T6 dos três aos onze centímetros, com a ajuda de uma alavanca com força de efeito mola, acessível ao condutor enquanto sentado.
Também parte integrante é o sistema condutor da recolha de relva: Quando em processo de corte, recolhe também os rebentos das beiras acabando por apanhar uns centímetros a mais da superfície a cortar, ajustando o corte até aos cantos.
Nas versões da série T5, o sistema de duas lâminas inclinadas dá um aspecto bonito à relva com uma largura de corte de 95 cm. O que é cortado é levado por uma corrente forte através de um canal para a espaçosa cesta de recolha da relva de 250 litros de volume.
Nas versões da série T6, o sistema de três lâminas corta, de acordo com o modelo, entre 110 ou 125 centímetros do trajecto. O que é cortado é aspirado com força. Uma corrente de ar com 20 metros por segundo passa pelo canal de moagem para a espaçosa cesta de recolha de relva com capacidade para 350 litros. A corrente de ar dá o efeito de que o que é cortado é apanhado e que a sua capacidade é de facto aproveitada.
Um sinal acústico informa o jardineiro quando o cesto de recolha de relva está cheio, não sendo necessário deixar o lugar do condutor para o esvaziar. Basta alcançar atrás um cabo tipo sabre, puxá-lo, e o cesto de recolha da relva despeja todo o seu conteúdo. Quem quiser proceder ao mulching, pode encaixar a cunha para mulching opcional. O processo de mulching poupa tempo e o que sai do processo de moagem aduba ao mesmo tempo o terreno.
Quando as lâminas não estão a ser utilizadas, por exemplo quando o condutor vai da garagem até à relva, ou quando esvazia o cesto de recolha, pode desligar o acoplamento de lâminas. Em alguns modelos o acoplamento de lâminas electromagnético funciona carregando no botão correspondente.

[b]Visão de longo-prazo[/b]
Segundo a Viking, a construção robusta e os materiais de elevada qualidade são uma prioridade. A construção do chassis dá a estabilidade necessária ao tractor corta-relva, que nos testes de resistência apresentou excelentes resultados. Condições ideais também para encaixar o reboque basculante ou rolos compactadores, que entre outros artigos, fazem parte do vasto programa de acessórios. Todas as máquinas trazem de série um acoplamento de reboque. Um pára-choques resistente a toda a volta do tractor protege contra danos. Os grandes pneus alinhados, favoráveis à relva, e o eixo do pedal à frente melhoram a aderência ao piso. «Não terá qualquer problema em conduzir qualquer um dos tractores corta-relva em terrenos irregulares», assegura a marca.

As séries T5 e T6 já estão disponíveis na rede de agentes STIHL/Viking.

Fonte: STIHL / Viking

Tags:

4 Comments

  1. guinex 4 de Fevereiro de 2008

    que espetáculo! quero um!

    Responder
  2. Anonimo 10 de Abril de 2008

    qual o preço

    Responder
  3. Anonimo 20 de Maio de 2008

    o site é optimo pena não ter o preço dos tractores.fatima13ps@hotmail.com

    Responder
  4. João Cardoso 30 de Dezembro de 2008

    Tenho um MT-540 e uma vasta gama de produtos da STHIL e gostaria de faser uma troca por um T 6 da Viking, Qual a possibilidade?

    Responder

Deixe o seu comentário guinex Cancelar comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ir para o topo