A CARREGAR

Type to search

Plantas para a Beira-Mar

Quando estamos junto ao mar, em zonas no litoral e temos de planear um jardim, muitas vezes somos confrontados com algumas dificuldades: que plantas escolher uma vez que o ar do mar (salitre) pode queimar ou danificar seriamente as plantas que não estejam perfeitamente adaptadas. Quais são essas plantas?

Se formos passear à beira mar verficamos que de facto também lá existem jardins, então o que temos de fazer é observar que tipo de plantas são utilizadas e mais importante, verificar se as plantas que estão nesses jardins se encontram de boa saúde e se estão bem adaptadas. Há casos em que as plantas foram mal escolhidas e acabam por morrer ou definhar.

Em baixo segue uma listagem de plantas e respectivas características que estão perfeitamente adaptadas às zonas maritimas.

O tamarix (Tamarix gallica) é um arbusto/árvore que tem um floração espantosa, cor de rosa e é muito utilizado para formar cortinas corta vento. É especialmente resistente ao ar do mar. Está a ser muito usado em programas contra a desertificação.

O pitosporum (Pitosporum tobira) é também bastante resistente ao ar do mar e pode ser plantado mesmo na primeira linha do mar. A floração é pouco vistosa mas sente-se a vários metros de distância.

O metrosidero (Metrosidero excelsa – foto: Júlio Reis)) é uma árvore de grande porte. A floração é abundante de um vermelho vivo. É a espécie mais resistente ao salitre. Será comum encontrar e observar especímes plantados mesmo sobre a areia. A árvore quando adulta pode emitir raízes aéreas (adventícias) que podem mesmo chegar ao solo formando uma espécie de lianas grossas e muito densas.

O acer (Acer pseudoplatanus) é uma espécie caduca que tolera muito bem o ar do mar. É tambem super resistente aos ventos e inclusivé à poluição. A espécie é um acer mas as folhas são muito semelhantes às do plátano ( daí ser chamado pseudoplatanus)

O crataegus vulgar (Crataegus spp.) é um arbusto resistente ao ar do mar. As suas flores são semelhantes às das rosas silvestres (pertence à família das rosaceas), e com as suas bagas vermelhas podem ser confecionadas diversas receitas.

O pinheiro larício (Pinus nigra) é outra espécie bem adaptada aos climas maritimos. É uma conifera que mantém as suas agulhas durante todo o ano.

O chorão das praias (Carpobrotus edulis) é muito resistente e foi introduzido em Portugal com o objectivo de estabilização de taludes e dunas, devido à sua rápida proliferação foi posteriormente considerada uma invasora. Os seus frutos servem de alimento a diversos animais contribuindo assim para a sua proliferação noutras zonas mais distantes do mar. Para mais informações poderá visitar o site https://www1.ci.uc.pt/invasoras/files/1chorao-da-praia.pdf

Esta espécie não deve ser utilizada nem propagada.

Outras plantas para zonas maritimas: Quercus ilex, Pinus radiata, Atriplex, Elaeagnus, Olearia, Pyracantha, Senécio, Ulex, etc.

Boas escolhas

Imagens: Teun Spaans, Willow, Magnus Manske.

DIOGO RICOU é o responsável técnico da empresa Monteiro & Ricou, lda. Licenciado em Engenharia Agrícola pela Universidade dos Açores. Desde sempre que esteve ligado a esta área.

É formador nas áreas da jardinagem, nomeadamente planeamento de jardins e dá aulas ao curso CEF jardinagem no ensino público.

A monteiro & Ricou presta serviços de consultadoria, gestão de obras, construção de jardins, implantação e projecto de sistemas de rega, instalação de jardins verticais, agricultura, paisagismo.

www.monteiroricou.blogspot.com

Tags:

Talvez goste deste artigo

1 Comments

  1. Maria luisa silva da silva 29 de Julho de 2011

    gostei …! um pouco mais de imagens ficaria otimo.obrigado

    Responder

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Artigos Relacionados

Ir para o topo