A CARREGAR

Type to search

A calda bordalesa é uma das formulações mais antigas que se conhece, tendo sido descoberta por acaso, em finais do século XIX por um agricultor francês. Ao molhar uvas com leite de cal para evitar que as roubassem, percebeu que estas ficaram livres de antracnose, ou podridão negra. O pesquisador Millardet, chamado para descobrir a razão de tal facto, concluiu que este efeito se devia a ter-se preparado o “leite de cal” em tachos de cobre. Depois, foi pesquisar até chegar à proporção mais adequada de cal e sulfato de cobre.

Como preparar (10L)

1.) Dissolução do sulfato de cobre: de véspera, mergulhar 100g de sulfato de cobre, embrulhado num pano de algodão dentro de 1L de água morna.

Muito importante: use um recipiente de plástico!

2.) Água de Cal: colocar 100g de cal num recipiente com capacidade superior a 10L e acrescentar 9L de água, aos poucos.

3.) Mistura dos ingredientes: aos poucos e mexendo sempre, deite a solução de sulfato de cobre dentro da água de cal.

Para verificar se a calda está pronta ou se está demasiado ácida, pode fazer o seguinte teste, muito simples, mergulhe uma lâmina de aço durante 3mn na calda. Se ao retirar esta ficar escura, acastanhada, está ácida. Se a lâmina não escurecer, a calda está pronta.

Deve ser utilizada até e dias depois de ter sido preparada e, se precisar de menores quantidades, diminua proporcionalmente as quantidades indicadas.

Em plantas adultas aconselha-se a diluição a 1% e é eficaz contra doenças e parasitas da couve, feijoeiro, tomate, folhas de cenoura, batata etc.

Em plantas jovens, deve utilizar uma parte de calda bordalesa por uma parte de água, para cebola, alho e beterraba utiliza-se 3 partes de calda para 1 de água.

Boa ou má opção?

O uso deste produto é hoje centro de alguma controvérsia, sobretudo devido ao uso abusivo da mesma em determinadas culturas, sobretudo vitivinícolas. Deve no entanto lembrar-se que o sulfato de cobre é tóxico, podendo causar queimadura graves sobre certas folhas. Além disso, acumula-se na terra, pelo que deve tentar tratar as plantas sem molhar demasiado o chão que as rodeia.

LEMBRE-SE: Respeite criteriosamente as quantidades indicadas e, sobretudo, nunca pulverize por tempo muito quente ou ventoso.

Pode encontrar várias formulações idênticas no mercado, de preparação rápida e fácil.

A REDACÇÃO do Portal do Jardim.com, conjuntamente com todos os seus contribuidores, prepara artigos e notícias do seu interesse, mantendo-o ao corrente do que se passa sobre o Jardim, em Portugal e no Mundo.

Tags:

Talvez goste deste artigo

10 Comments

  1. laureci vaz comunello 2 de Novembro de 2010

    Achei bom, mas não entendi quantos dias depois de pronta a calda deve ser usada. Desde já fico muito agradecida.
    Laureci

    Responder
  2. joaquim jose gurgel guerra 25 de Junho de 2013

    Indicar se a cal ,e virgem ou apagada.

    Responder
  3. JOÃO SARAIVA 7 de Janeiro de 2015

    Boa noite ex.senhores:
    a calda bordalesa na videira:(podridão negra)
    devo aplicala após a poda,
    ou nolta altura.

    comprimentos
    JOÃO SARAIVA

    Responder
  4. veloso 5 de Março de 2015

    Boa. Sabendo que esta Cria danos so meio ambiente e diversos porque sera ideial usala nas actividades agricolas.

    Responder
  5. maria emiia soares fernandes 7 de Agosto de 2015

    quais as medidas de calda bordalesa só para uma arvore?

    Responder
  6. maria emiia soares fernandes 7 de Agosto de 2015

    qual a quantidade de calda bordalesa para uma só arvore?

    Responder
  7. GaliaCH 5 de Fevereiro de 2016

    onde comprar Calda Bordalesa? Obrigada

    Responder
  8. walter luiz cezar 16 de Maio de 2016

    Gostei da receita, mais gostaria de saber qual o periodo entre uma e outra aplicação

    Responder
  9. Trigo António 18 de Abril de 2018

    Onde posso comprar a calda bordelesa

    Responder

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ir para o topo