A CARREGAR

Type to search

As Stanhopea são orquídeas originárias de países da América do Sul. São bastante conhecidas e procuradas na ilha da Madeira, onde as conhecem por “Passarinhos” ou “Melrinhos”.

Por cá também estão a ter cada vez maior popularidade e têm bastantes razões para isso. As flores são grandes, diferentes, vistosas e muito agradavelmente perfumadas. Em quase todo o país podem ser cultivadas no exterior, desde que protegidas de geadas, e assim que se estabelecem dão bastantes flores.

Stanhopea jenischiana

Stanhopea jenischiana

As Stanhopea começam a florir nos meses mais quentes da Primavera e Verão, prolongando-se por vezes até ao Outono. É frequente darem mais do que uma floração no mesmo ano, com algumas semanas de intervalo.

Estas orquídeas são cultivadas principalmente em cestos de rede ou madeira pendurados. Não se cultivam em vaso (a não ser que estejam cheios de buracos ou sem fundo) porque este género tem uma característica interessante e peculiar, dão as folhas acima dos pseudobolbos e as flores a apontar para baixo. Assim temos de lhes dar espaço aberto para as hastes florais crescerem para baixo e abrirem penduradas, normalmente em cachos de duas a seis flores. Como substrato de cultivo para estas orquídeas, costumo utilizar uma mistura para orquídeas mas acrescento-lhes mais casca de pinheiro de calibre médio (1 parte de substrato para orquídeas para 1 medida de casca de pinheiro) para dar uma boa drenagem e permitir que as flores possam furar o substrato sem dificuldades.

Temos que ter o cuidado de regar com alguma frequência porque as Stanhopea são orquídeas que gostam de uma humidade constante nas raízes sem ficar com o substrato ensopado. Se as pontas das folhas começarem a ficar secas, é um sinal que a planta nos dá de que precisa de mais água.

Stanhopea oculata

Stanhopea oculata

Para obtermos plantas saudáveis e boas florações, devemos fertilizar com frequência estas orquídeas. Pelo menos duas vezes por mês. O fertilizante deve ser próprio para orquídeas e pode ser liquido ou em pó diluído na água de rega ou ainda em granulado, de libertação lenta e neste último caso, aplicado a cada dois meses.

É um género muito interessante, constituído por cerca de 60 espécies e com bastantes potencialidades para os orquidófilos portugueses.

 

Stanhopea tigrina var. nigroviolacea

Stanhopea tigrina var. nigroviolacea

O C.O.P. – CLUBE DOS ORQUIDÓFILOS DE PORTUGAL é uma associação sem fins lucrativos que tem como objetivo juntar os portugueses que gostam de orquídeas divulgando estas jóias botânicas, tanto no seu cultivo como plantas ornamentais, como também na sua história e em todos os aspetos em que as orquídeas estão presentes na sociedade e cultura.

Aberto a gente de todas as idades, o clube tem já associados spalhados por Portugal continental e ilhas. A partilha de experiências terá lugar em encontros, workshops, cursos, presença na internet (Webpage, Blog, Facebook, Youtube, etc), publicações, exposições e concursos, pequenos passeios pela natureza e grandes viagens pelo mundo. Onde houver orquídeas, nós estaremos lá!
Website Clube Orquidófilos Portugal

Tags:

Talvez goste deste artigo

2 Comments

  1. Dina Sacramento 28 de Abril de 2016

    Muito interessante.
    Orquídeas lindas, gosto de todas!

    Responder
  2. Antonio 2 de Maio de 2016

    As Stanhopea são orquídeas originárias de países da América do Norte, Central e do Sul. Stanhopea tigrina e 13 especies mais som de México, un país da America do Norte.
    As Stanhopea nom gustan de sol directo.

    Responder

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ir para o topo