A CARREGAR

Type to search

Jardim Botânico da Ajuda e a Festa da Primavera

[img]https://www.portaldojardim.com/artigos/parquesjardins/jbajuda180507/abertura.jpg[/img]

      

Fotos: Fernanda Botelho e Portal do Jardim

[url=https://www.portaldojardim.com/artigos/parquesjardins/jbajuda180507/01.jpg][img]https://www.portaldojardim.com/artigos/parquesjardins/jbajuda180507/thumbs/01.jpg[/img][/url]
 

Aconteceu no fim de semana de 5 e 6 de Maio a feira da Primavera no Jardim Botânico da Ajuda. Fico sempre um pouco triste ao constatar que os portugueses preferem os centros comerciais aos espaços verdes, abertos, bonitos, com história, com vista para o rio. Apesar de ser dia da mãe no dia 6 foram poucas as filhas ou filhos que decidiram presentear as suas mães com uma bela passeata entre árvores exóticas e centenárias, jardim de aromas, estufa de orquídeas, vendas de plantas e artesanato, pavões, e ao fundo a ponte sobre o azul do rio Tejo. Que bela paisagem Lisboeta nos oferece este magnífico jardim.

Dragoeiro suportado por estrutura de metal

Dragoeiro suportado por estrutura de metal

A feira já acabou mas o jardim continua lá romântico e sereno oferecendo sombra e tranquilidade e esperando a sua visita nos dias quentes que se aproximam.
Aqui deixo alguns dados referentes à história do jardim que escolheu o velho muito velho dragoeiro ([i]dracaena draco[/i]) como seu símbolo . Esta é uma árvore pré-histórica e sabe-se que a sua seiva vermelha era utilizada pelo homem dessa época, como cicatrizante e estimulante do organismo, era também com esta seiva que faziam algumas das pinturas rupestres.

 

[b]O jardim botânico da Ajuda foi o primeiro jardim botânico a ser plantado em Portugal.[/b]
 

Os romanos utilizavam não só a seiva no fabrico de tintas e vernizes mas também as folhas muito fibrosas e resistentes no fabrico de artesanato, era também associado a rituais de magia e experiências alquímicas pois a sua seiva era conhecida por sangue de dragão O dragoeiro é ainda hoje utilizada para fins medicinais e fruto de alguns estudos.

[url=https://www.portaldojardim.com/artigos/parquesjardins/jbajuda180507/02.jpg][img]https://www.portaldojardim.com/artigos/parquesjardins/jbajuda180507/thumbs/02.jpg[/img][/url]
 

O jardim botânico da Ajuda foi o primeiro jardim botânico a ser plantado em Portugal. Depois do terramoto de 1755, o rei D.José I mudou-se para a Ajuda onde mandou construir um palácio de madeira que mais tarde no ano de 1794 viria a ser destruído por um incêndio. O real jardim botânico nasceu em 1768 das mãos de Domingos Vandelli um famoso Botânico Italiano que se encontrava a trabalhar no primeiro jardim Botânico Europeu, o de Pádua criado em 1554 para o estudo das plantas.
O jardim foi criado em dois planos. O superior para o estudo de plantas que foram trazidas de todo o mundo e plantadas em canteiros de pedra apresentando bastante semelhança com o Horto Botânico de Pádua. Já o plano inferior do jardim consiste num traçado de buxo de 4km de inspiração francesa e italiana. Três grandes escadarias de pedra de influência barroca fazem a ligação dos dois planos do jardim. Existem ainda vários lagos e fontanários e uma boa colecção de plantas aromáticas e medicinais.

[url=https://www.portaldojardim.com/artigos/parquesjardins/jbajuda180507/04.jpg][img]https://www.portaldojardim.com/artigos/parquesjardins/jbajuda180507/thumbs/04.jpg[/img][/url]
 

Para conhecer melhor este jardim histórico português existe uma fantástica publicação intitulada «Jardim Botânico da Ajuda» da editora horizonte, aí pode ler vários depoimentos sobre a história do jardim inserido no contexto político e social da época incluindo o terramoto de 1755 que foi na realidade o grande propulsor da criação do Jardim neste local privilegiado, um autêntico terraço sobre o rio Tejo.

Para mais informações poderá ainda consultar o seu site:

www.jardimbotanicodajuda.com

FERNANDA BOTELHO nasceu em Tojeira/Sintra em agosto de 1959.
Aos 18 anos viaja para Londres onde estuda antroposofia e plantas medicinais e pedagogia Montessori.
Fez o curso de guia de jardim botânico com a Alexandra Escudeiros e gostou tanto que repetiu no ano seguinte.
Apaixonada por jardins botânicos, é frequentadora assídua de Kew gardens. Absorve o que vê, fotografando e escrevendo.
Publica anualmente desde 2010 agendas de plantas medicinais, três livros infantis “Salada de flores” “Sementes à solta” e “Hortas aromáticas”. “As plantas e a saúde, guia de remédios caseiros”. É colaboradora do programa Eco-escolas desenvolvendo projetos de plantas medicinais e hortas sustentáveis nos espaços escolares com professores e alunos.
É convidada regular da RTP 1, organiza passeios botânicos e dá workshops sobre plantas medicinais.
Blogue Malva Silvestre.

Tags:

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ir para o topo