A CARREGAR

Type to search

Apresentamos aqui uma série de dicas, com o objectivo de ajudar a planear as tarefas necessárias para tirar o máximo partido do seu jardim, em qualquer época do ano!

Relvados

Corte o seu relvado uma vez por mês, se for realmente necessário, durante o Inverno, tendo a máquina na posição mais alta, na Primavera poderá então aumentar a frequência dos cortes para 15 em 15 dias; deve também baixar a posição da máquina para a posição mais baixa. Adube com um adubo à base de Azoto. Escarifique logo a seguir.

À medida que o Outono vai caminhando vá subindo a posição e consequentemente a altura de corte, volte a adubar mas desta feita com um adubo à base de fósforo e potássio.

Podas

As podas devem ser feitas na altura de dormência das plantas, normalmente no Inverno.

As roseiras toleram as podas até quase ao ínicio da Primavera ( Janeiro e Fevereiro).

As árvores de folha caduca devem ser sempre podadas no Inverno, a partir de Novembro.

As de folha permanente podem não ser podadas, se for necessário, opte pela altura a seguir à floração e ou produção de frutos, mas atenção a poda de árvores de fruto deve ser feita por alguém que perceba do assunto, já que as flores do ano seguinte podem já estar a ser formadas e sem querer podemos acabar com elas.

A poda das sebes deve ser feita ao longo do ano, mas não se esqueça que nem todas necessitam de ser aparadas todos os meses. Se a sebe for constantemente podada assim que emite crescimento, vai acabar por enfraquecer, já que está em constante crescimento. A solução está no meio-termo.

Sebes:

Metrosidero – apenas deve ser podada na Primavera depois da floração e até ao final do Outono.

Escalónia – esta sebe pode ser cortada com uma periodicidade maior, mas deve-se deixar que dê flor.

Pyricantha – Pode ser podada apenas para controlo da vegetação, no entanto deve deixar que dê as flores e não se deve cortar até que dê as bagas (fruto).

Berberis – Pode ser podada com alguma regularidade , no entanto se a deixarmos crescer livremente, as suas folhas mudam de ligeiramente de cor ao longo do ano.

Euvonimus – pode e deve ser cortada com frequência pois está adaptada à arte topiária.

Ligustro – tal como a anterior pode ser sujeito a cortes frequentes, muito utilizada em topiária.

Buxo – Apesar de estar bem adaptada a cortes frequentes; devido ao seu lento crescimento, não se deve abusar e no inverno não deve ser podada.

Ervas daninhas

Na Primavera, deve dar-se especial atenção pois podem-se tornar um problema, assim que apareçam devem retirar manualmente ou recorrer-se herbicidas. Não se devem cortar sem arrancar pois tornam-se cada vez mais fortes e afilham, em vez de por exemplo termos uma haste, aparecem duas ou mais.

Também não se devem deixar que floresçam pois se derem semente, no ano a seguir o ataque pode ser ainda pior.

Tratamentos

O tratamento fitossanitário engloba uma série de procedimentos que devem ser realizados por profissionais. A escolha do produto químico, a praga a combater, o método de aplicação, as condições metereológicas, a altura do combate, a situação da planta (fenologia) devem ser levadas em linha de conta.

O uso repetido do mesmo produto no combate a uma praga pode levar a que o organismo em causa possa criar resistência.

Também importante, no caso de árvores de fruto, é o intervalo de segurança: período após o tratamento fitossanitáro que se deve respeitar até se poderem consumir os frutos, depende da perigosidade do produto aplicado.

Vasos

Se pretende transplantar um vaso para a terra, pode faze-lo em qualquer altura do ano, no entanto deve regar abundantemente se estiver no Verão.

Se pretende transplantar uma planta da terra para um vaso, faça-o só no Inverno, tente retirar a maior parte das raízes e coloque terra própria de envasamento, regue bem. A escolha do vaso é importante, e depende do tamanho da planta.

Plantas de raíz nua só devem ser plantadas no fim do Outono e Inverno.

Protega as suas plantas do frio colocam-do as dentro de casa (as que estiverem em vaso) ou coloque-as num local abrigado.

Os EPI´S (equipamentos de protecção individual) devem ser sempre utilizados.

Devem ter-se cuidados especiais quando existem animais domésticos nas imediações.

Não se esqueça que o seu jardim é um espaço de lazer e divertimento. E que tudo pode ser reutilizado…

DIOGO RICOU é o responsável técnico da empresa Monteiro & Ricou, lda. Licenciado em Engenharia Agrícola pela Universidade dos Açores. Desde sempre que esteve ligado a esta área.

É formador nas áreas da jardinagem, nomeadamente planeamento de jardins e dá aulas ao curso CEF jardinagem no ensino público.

A monteiro & Ricou presta serviços de consultadoria, gestão de obras, construção de jardins, implantação e projecto de sistemas de rega, instalação de jardins verticais, agricultura, paisagismo.

www.monteiroricou.blogspot.com

Tags:

4 Comments

  1. Emília Silva 20 de Setembro de 2011

    Gostei porque trato do meu pequeno jardim com base em conceitos não aprofundados mas pelo que li mesmo sem formação na área já tinha certos procedimentos mencionados neste artigo ex:cuidados com as ervas daninhas.Tenho uns pés de alfazema que estão fracotes e vou dar uma espreitadela na poda que nunca fiz.
    Cump.
    Emília

    Responder
  2. Filipe Cymbron 15 de Junho de 2017

    Boa tarde. Tenho uma árvore Metrosidero plantada há 8 anos e nunca deu flor. Isso é normal? Existem Metrosideros que não dão flores?
    Agradecia que me esclarecessem essa dúvida.

    Obrigado.
    Filipe Cymbron

    Responder
  3. nene 16 de Julho de 2017

    tenho também um metrosidero plantado no jardim à mais de 8 anos e nunca deu flor, para minha tristeza , quando vejo por aqui avenidas com imensos floridos. Poque será, agradecia que me ajudassem.

    Responder

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ir para o topo