A CARREGAR

Type to search

10 anos do Festival Internacional de Jardins de Allariz

Cinema como tema, impossível não visitar.

No seguimento dos Jardins do Fim do Mundo em Ponte de Lima foi fácil percorrer o caminho até Allariz, uma vila muito bonita atravessada pelo rio Arnóia a escassos 12 kms de Ourense.
Tivemos a companhia dos nossos amigos Ana e Carlos que têm visitado connosco alguns destes Festivais.

Texto: Luisa Dias Mendes Fotografia: Lobo do Mar

O Cinema nos Jardins confesso que quando soube da temática fiquei muito curiosa sobre as abordagens possíveis.
11 projetos selecionados e construídos em 2019 e o jardim vencedor da edição de 2018 “Jardim Proibido”(05).

As propostas são sempre interessantes de analisar e tal como em Ponte de Lima há que ter algum tempo para estar e absorver a mensagem inerente que é muitas vezes sofisticada. Nesta exposição optou-se por colocar para além dos nomes das plantas dos jardins também a sua fotografia o que ajuda e muito a identificar e a aprender sobre as espécies em exposição.

01 Descalços no Jardim
O jardim proposto estabelece uma analogia com a ação criativa de fazer filmes. Tem sequências, narrativas e atores… Os atores são os visitantes que improvisam a vida no jardim jardim.
Movimento e pausa. Convida-se os visitante a andarem descalços sobre pedra, cortiça ou madeira.
Cada zona, seja deserto, floresta ou pradaria são locais específicos e habitats da paisagem do planeta. Tem ainda é um campo de colinas verdes para uma exploração lúdica e jogos de criança com flores silvestres.
Itália
By Uno+ Uno Isolta Cortesi e Gisela Bartoloni

02 O Jardim Zootropo
Zootrópio é um mecanismo de pré-filme que consistia dum cilindro com vértices verticais, no qual, girando, o observador podia testemunhar uma cena em movimento a partir de uma sequência de imagens.
No caminho o espetador é convidado a interagir com o zootropo procurando as fendas e observando através delas.
Assistir passo a passo à formação da floresta: fungos, bactérias e briófitas; como pastos de plantas herbáceas pioneiras; uma herbáceas e arbustos com groselhas. Uma vez dentro, o espetador fica imerso na sequência que ele desfruta no ano inteiro.
Madrid e Santiago de Chile
By Aylín Nadia Vera Ramos, Pablo García Mena, José María Estebaranz Montero

03 Chim Chim Mary Poppins
A proposta Chim Chimney é um jardim com um tema cinematográfico que convida os visitantes a entrar na fantasia, recriando e reinterpretando a atmosfera de um filme. Inspirada no filme Mary Poppins (1964), Chim Chimney recria a cena mágica e icónica em que Mary Poppins canta “Chim Chim Cher-ee” com Bert, o limpador de chaminés, no teto, com seu guarda-chuva voador.
Chim Chimney é um icônico jardim cinematográfico que pode ser apreciado por todos, independentemente de sua idade e de onde eles são. É um conjunto, orquestrado usando plantas e chaminés diferentes, que permite que os visitantes se tornem atores principais e atrizes, cantando junto com Mary Poppins.
USA
By Jamee Studio: Haemee Han e Jaeyual Lee

04 Montando Allariz
O filme torna o tempo visível e maleável.
A continuidade do tempo é uma tomada sem cortes, uma sequência de fotos. Descontinuidade do tempo são cenas, cortes que são unidos. Montando e Allariz (no sentido de edição) reflete a dialética entre continuidade e descontinuidade. A continuidade do tempo é representada por um elemento que passa ininterruptamente pelo jardim: um tapete vermelho. A descontinuidade é representada por diferentes cenas claramente separadas umas das outras.
O jardim reflete a história de Allariz do século VI ao século XX, coberto por 50 m de carpete.
Dos suevos no séc, VI as forças económicas do sec. XX. o linho e o couro.
Madrid
By Mandarina: Elvira de Navas, Luís M. Santos e Ângela Martinez

05 O Jardim Proibido Edição 2018
Projeto português vencedor da edição de 2018.
A palavra proibida significa algo que não é autorizado ou não é permitido. Escolha desta palavra para descrever um jardim porque, tal como Adão e Eva já pecaram, todos achamos que o fruto proibido é o mais desejável.
Quando os visitantes descobrem o jardim, sentem muitas emoções diferentes, culminando num ponto central do jardim, onde nada e tudo se juntam.
Portugal
By MCR – Mónica Mota, Cláudia Vilar, Renata Ferreira

06 Galewood
O jardim funciona como um lugar onde cada visitante tem a chance de percorrer uma história diferente, dependendo da sua escolha. A soma de todas essas perspetivas gerará uma visita coletiva ao jardim.
Os visitantes terão liberdade para interpretar a sequência cinematográfica criada pelos espaços que compõem o projeto. Através do #gallewood no Instagram, eles poderão participar do filme coletivo feito de todas as imagens e vídeos.
Em suma, este projeto é sobre relações pessoais com o espaço que nos rodeia, através do cinema.
Galiza, Rep. Dominicana e Argentina
By Taler salvaje: Andrea Arias de La torre, Victoria Della Chiesa e Jorge Recio.

07 Lille/Ville
LILLE \ VILLE é uma proposta que visa combinar os dois principais conceitos da 10ª edição do Festival Internacional de Jardins de Allariz, “Cinema in the Garden”. Introduzimos o design arquitetónico como um novo elemento e, como referência cinematográfica: DOGVILLE.
Transformar DOGVILLE em LILLEVILLE, uma representação em escala do antigo centro de Allariz, cujo epicentro é a Igreja de Santiago, que fica perto de Praza Maior, Praza de Abaixo, Rúa da Cruz, Rúa da Cárcel, Rúa de San Lorenzo e Rúa Vilanova.
As 16 estrelas do filme são as 16 espécies de plantas escolhidas.
Ourense
By PLP Atelier: Pablo López Prol, Diego Rodríguez Val, Montserrat Pereira Pino and Eduardo Cebreiro Lago

08 As Mariposas da Memória
As Borboletas da Memória ”é uma homenagem que as escolas Allariz querem fazer aos professores que há gerações vêm dando asas de liberdade e cores de felicidade e sabedoria aos meninos e meninas que passam o tempo em suas salas de aula.
A inspiração para este jardim escolar foi “Butterfly Tongue”, uma história de Manuel Rivas que também foi transformada num filme dirigido por José Luis Cuerda e filmado na cidade de Allariz. O personagem de Don Gregorio, um professor dedicado, humanista, defensor da liberdade e vítima da brutalidade fascista.
Allariz
By Centros Educativos de Allariz

09 O Cinema Como Sempre
O cinema, ao longo de sua história, foi ligado a um espaço específico que permaneceu praticamente inalterado desde a primeira vez que uma imagem em movimento foi projetada para uma audiência. Além da tecnologia e dos materiais usados para criar auditórios, a essência de uma visita ao cinema sempre foi a mesma: uma série de ritos de passagem que preparam o espetador para experimentar o espaço em que vão ver o filme.
Nesta instalação, tentamos replicar essa experiência no cenário de um jardim.
Catalunha
BY Daniel Vazqéz Malvesado

10 Sê o Herói do teu Próprio Filme
Os humanos são responsáveis por suas próprias vidas, e é por isso que eles criam seu próprio filme. O jardim é dividido em quatro zonas para representar a infância, a juventude, a idade adulta e a velhice.
Infância representada pelo personagem Peter Pan que soprou pó de fada nas crianças para que elas pudessem voar.
Juventude é com o o filme “Procurando Nemo”, Dory diz: “Apenas continue nadando, continue nadando, continue nadando, nadando, nadando.”
Idade adulta estamos no filme Benjamin Burton na cena em que Daisy dança e tenta convencer Benjamin a passar a noite juntos, eles não vão adiante e isso fortalece o relacionamento deles.
A Velhice é com o filme The Bucket List, o significado da vida, particularmente na cena em que Chambers pede: “Você encontrou alegria em sua vida? A sua vida trouxe alegria aos outros?
Áustria e Alemanha
By EMU – Elisabeth Stacher, Max Mille e Udo Buttinger.

11 Música no Jardim dos Arpel
Jacques Tati é um dos grandes comediantes do cinema. Em 1958, dirigiu e estrelou “Mon Oncle” o seu primeiro filme a cores. Recebeu vários prémios, incluindo o Oscar de melhor filme estrangeiro.
A casa da família Arpel representada no jardim, é inspirada nas formas racionalistas do início do século XX. Criado por Jacques Tati, Pierre Etaix e Jacques Lagrange, oferece uma perspetiva divertida do mundo moderno. O jardim é inspirado por designers do início do século XX: Lebisch, Lurçat, os irmãos Vera, Molnár, Mallet-Stevens e Guévrékian.
Madrid
By Hulot Band
Quarteto instrumento que recria e interpreta a sonoridade das antigas orquestras de salão.
Francisco Fernández –Guitarra e voz
Javier Nuñez – Baixo
Pablo Castaño – Clarinete
Miguel Nava –Violino e narrador

12 Jardim Flashback em celuloide
Remete-nos para o início. É um tributo ao cinema ao ar livre, ao filme clássico a preto e branco. O jardim dá-nos as boas vindas ao cinema autêntico como ele costumava ser projetado através de rolos de filme de celuloide, máquinas de projeção e telas.
Jardim multi cinema onde descobrimos quatro dos grandes clássicos do cinema filmados em preto e branco.
E curioso, o celuloide é feito com plantas. Inventado em 1860, é um material plástico obtido a partir de cânfora e nitrato de celulose obtido a partir de plantas.
Antes de entrar os autores sugerem que façamos flashback para lembrar alguns filmes a preto e branco que nos tenham marcado.
Escócia
By Cristina González Martin

Horários
17/06/2019- 15/09/2019
Manhãs: 11:30h a 14:00h
Tardes: 17:00h a 21:00h
16/09/2019 – 3/11/2019
De 2ª a 6ª : 16:00h a 19:00h
Fins de semana e Festivos: 11:30h a 14:00h e de 16:00h a 19:00h

Sabia que pode ser um candidato a ter um jardim no Festival Internacional de Jardins edição 2020?
Subordinada ao tema “Jardins dos Poetas” visite para mais informações https://www.allariz.gal/festival/

A REDACÇÃO do Portal do Jardim.com, conjuntamente com todos os seus contribuidores, prepara artigos e notícias do seu interesse, mantendo-o ao corrente do que se passa sobre o Jardim, em Portugal e no Mundo.

Tags:

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ir para o topo