A CARREGAR

Type to search

Por José M. M. Santos
Presidente do Clube dos Orquidófilos de Portugal

São originárias do continente americano, sendo encontradas no estado da Flórida (E.U.A.), no México, em várias ilhas das Caraíbas e em mais alguns países da América Central.

Tolumnia (2)Cresce de forma simpodial mas não tem quaisquer pseudobolbos. Cada novo rebento que cresce ao longo do rizoma é composto por folhas que crescem aos pares, sobrepondo-se mas unidas na base, com a disposição de um leque. Atingem no máximo entre 15 a 20 cm e têm uma dobra longitudinal. De entre as folhas aparecem as hastes florais, finas e compridas, podendo atingir mais de 30cm e ramificando-se dando múltiplas flores de 2-3 cm de comprimento lembrando a configuração de alguns Oncidium. As cores são normalmente quentes. Amarelos, laranjas, vermelhos, castanhos, etc. Nunca corte a haste até esta secar pois a mesma haste pode voltar a florir.

Tolumnia (4)

Gostam de lugares com boa luz difusa, como as Phalaenopsis ou as Cattleya, e muita humidade, chuvas diárias ou fortes orvalhos. Pensaríamos talvez que mantivessem as raízes sempre húmidas como por exemplo as Masdevallia, mas pelo contrário, as Tolumnia vivem em locais ventosos ou muito arejados e apesar da humidade alta, as raízes nunca permanecem muito tempo molhadas.

São de zona temperada, com temperaturas ótimas entre os 12 e os 28 graus centígrados mas podendo chegar às mínimas de 10 e máximas de 32.

Tolumnia (1)

A forma mais natural de as cultivar é montando a planta num pedaço de cortiça ou num tronco de madeira. Não use muito musgo. As regas terão que ser feitas de modo a que as plantas recebam água mas não fiquem molhadas durante muito tempo. É difícil dizer a frequência porque depende de vários fatores. Uma planta montada pode ser regada ou borrifada diariamente mas se notamos que as folhas começam a ficar franzidas e desidratadas talvez seja aconselhado muda-la para um pequeno vaso com casca de pinheiro e um pouco de fibra de coco grossa ou um pequeno cesto com o mesmo substrato. Se o vaso for de plástico as raízes mantem-se molhadas mais tempo, se for de barro a água evapora mais depressa. Se as mantivermos no interior as regas deverão ser mais espaçadas, se no exterior, mais frequentes. Deve alimentar a sua planta com um fertilizante próprio para orquídeas e colocar em cada duas regas na água de rega mas numa dose mais diluída.

As Tolumnia têm poucos problemas com doenças mas deveremos manter vigia apertada a afídios e cochonilhas que podem atacar as plantas refugiando-se nas dobras das folhas.

Tolumnia (3)

 

O C.O.P. – CLUBE DOS ORQUIDÓFILOS DE PORTUGAL é uma associação sem fins lucrativos que tem como objetivo juntar os portugueses que gostam de orquídeas divulgando estas jóias botânicas, tanto no seu cultivo como plantas ornamentais, como também na sua história e em todos os aspetos em que as orquídeas estão presentes na sociedade e cultura.

Aberto a gente de todas as idades, o clube tem já associados spalhados por Portugal continental e ilhas. A partilha de experiências terá lugar em encontros, workshops, cursos, presença na internet (Webpage, Blog, Facebook, Youtube, etc), publicações, exposições e concursos, pequenos passeios pela natureza e grandes viagens pelo mundo. Onde houver orquídeas, nós estaremos lá!
Website Clube Orquidófilos Portugal

Tags:

Talvez goste deste artigo

1 Comments

  1. maria isabel gonsalves 29 de Junho de 2016

    adoro flores as orquídeas são das preferidas. Tenho uma pequena coleção. Os vossos conselhos são sempre interessantes

    Responder

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Ir para o topo